Melhores Sites De Apostas

Nacional domina Del Valle no Equador, mas cede empate no fim; final da Libertadores segue aberta

Tudo se encaminhava para uma vitória tranquila do Atlético Nacional-COL no Equador. Favorito, o time colombiano teve o controle das ações durante boa parte dos 90 minutos e ficou muito próximo da vitória até os 41 da etapa final. Defendendo a invencibilidade dentro de seus domínios, o Independiente del Valle foi valente e buscou um comemorado empate na noite desta quarta-feira (20). Foi o primeiro dos dois duelos válidos pela final da Libertadores 2016.

No fim das contas, esse foi um grande resultado para a equipe equatoriana. Como a regra do gol marcado fora de casa não se aplica a decisão da competição, o empate deixa a final completamente aberta para a segunda partida, que será disputada na próxima quarta-feira, às 21h45, em Medellin. Quem vencer o duelo leva o título da competição, mas se a igualdade persistir na Colômbia, a decisão vai para a prorrogação.

Duro castigo para os colombianos, que viram o título bem próximo após a eminente vitória longe de seus domínios. O Nacional mostrou por que é o melhor visitante da competição: brecou o ímpeto inicial dos equatorianos e tocou muito bem a bola. Com mais posse na primeira etapa, a equipe controlou as ações e logo saiu na frente do marcador. O time da Colômbia parecia confortável com o resultado, até que o castigo veio. Na base da raça, o zagueiro Mina fez explodir o estádio Olímpico Atahualpa com o gol de empate no fim do duelo.

O defensor do Del Valle também fez a festa de muita gente que investiu no empate: a igualdade no Equador rendeu 3,08 para cada real investido! Segundo o site oddsshark.com/br, o odd era o maior de todas as três opções, visto o histórico das equipes na competição Sul-Americana. Tanto Del Valle como Nacional empataram apenas duas vezes em 12 partidas disputadas até a decisão. Um triunfo do Nacional - que quase aconteceu - pagaria 2,87 a cada real investido. Mesmo como mandante, uma vitória do time equatoriano pagaria 2,98.

Os colombianos também dominaram nas estatísticas. Apesar de terem administrado a vantagem no fim, eles tiveram mais posse de bola: 56% a 44%. Foram 185 passes trocados pelo Atlético Nacional contra 105 do Del Valle. O time da casa finalizou apenas duas vezes no gol de Armani, três a menos do que os visitantes.

Domínio colombiano na primeira etapa

O duelo era no Equador, mas a torcida que fazia mais barulho era do Nacional. Empolgados, os colombianos lotaram a parte destinada a eles no Atahualpa. Apesar de estar em maioria, a torcida do Del Valle permanecia quieta. Como se trata de um time relativamente pequeno do Equador, muitos simpatizantes de outros times do país estavam presentes no estádio.

Como já é normal em um duelo de Libertadores, o time da casa fez aquela clássica pressão nos primeiros quinze minutos de partida, mas nada que tirou o fôlego do torcedor colombiano.

A primeira chance de gol foi do Del Valle, logo aos quatro minutos: chute do atacante Jose Angulo que passou muito próximo da trave esquerda de Armani. O Nacional respondeu logo em seguida com um chute de longe de Miguel Borja.

Aos poucos, o Atlético foi controlando as ações da partida. O ímpeto inicial do Del Valle diminuiu na medida em que os colombianos tocavam muito bem a bola. Principalmente quando a pelota passava pelos pés do meia Macnelly Torres: fazia a bola girar com rapidez e abastecia com qualidade os atacantes do Nacional.

A superioridade se transformou em gol aos 35 da primeira etapa. Em boa jogada, Torres achou Berrío no trabalho de pivô pelo meio. O atacante ganhou na dividida e fuzilou de perna direita, sem chances para Ozcona. Aberto o placar em Quito! O Del Valle sentiu o golpe e por pouco não levou o segundo. O primeiro tempo acabou com 1 a 0 para o Atlético Nacional.

Equatorianos explodem com empate no fim

O Independiente del Valle voltou mais nervoso para a segunda etapa. O trio de ataque pouco aparecia. Faltava aquele toque de criação na armação das jogadas. O Nacional era claramente melhor, mas não fazia muita questão de ampliar o marcador. Para os colombianos, a vitória por 1 a 0 estava muito boa, e eles praticamente abdicaram do contra-ataque.

O castigo do Atlético veio no fim, em uma falha do goleiro Armani. O camisa 1 tentou afastar o cruzamento de Sornoza com o pé direito e a bola sobrou para o zagueiro Mina. Como um atacante, ele tocou rasteiro para o fundo do gol colombiano! Festa equatoriana em Quito! A decisão da Libertadores 2016 segue em aberto!

Comments