Melhores Sites De Apostas

*Termos e condições se aplicam a todos os bônus oferecidos neste website. Visite a operadora para mais detalhes.

Nico Rosberg, o campeão do pragmatismo na Fórmula 1

Foto: Clive Mason/Getty Images

Pela quarta vez consecutiva na temporada, alemão chega em segundo, conquista primeiro título na categoria e brinda apostadores com 425% de lucro

Não foi o desfecho que os amantes da velocidade esperavam. Mas nada ilegal. Afinal, o alemão Nico Rosberg correu com o regulamento debaixo do braço e, com o segundo lugar no Grande Prêmio de Abu Dhabi, etapa derradeira da atual temporada da Fórmula 1, conquistou seu primeiro título na categoria máxima do automobilismo mundial aos 31 anos. Rosberg é o segundo filho de um ex-campeão a repetir o feito do pai – Keke Rosberg, vencedor em 1982. O primeiro foi Damon Hill, em 1997, herdeiro de Graham Hill (1962 e 1968). De acordo com o Bet365, aqueles que previram o desfecho do campeonato com a consagração do segundo piloto da Mercedes obtiveram lucro de 425%.

DISPUTA PSICOLÓGICA NO CIRCUITO DE YAS MARINA

A última vitória de Rosberg, na temporada, foi no Grande Prêmio do Japão, em Suzuka, no início de outubro. Desde então, a matemática mostrou um caminho de poucos riscos para o alemão superar seu companheiro e arquirrival, Lewis Hamilton, que buscava o tri de forma consecutiva. Piloto conhecido por sua exímia regularidade, Nico passou a correr de maneira pragmática e a evitar disputas de posição com o britânico, o que foi muito comum este ano. O motivo era simples: bastava chegar logo atrás do parceiro de equipe para garantir a consagração máxima no fim da disputa. Dito e feito.

Hamilton é daqueles competidores que o aficionado pelo esporte se identifica. Arrojado, até certo ponto temperamental, mas sempre disposto a prezar pelo espetáculo. Mas ele pagou um preço alto pela irregularidade do início à primeira metade do campeonato, quando Rosberg foi soberano. Houve uma recuperação do britânico, que chegou a tomar a ponta, mas Nico estava disposto a tudo para que 2016 fosse o seu ano e teve grande performance do GP da Bélgica à prova no Japão.

Na última etapa, assim como nas três anteriores, Lewis Hamilton largou na pole com o companheiro a tiracolo. O alemão, filho de sueco naturalizado finlandês, é a personificação da eficiência, quando, no fim da temporada, se contentou em ser apenas sombra do então bicampeão. Em Abu Dhabi, mesmo com uma eventual vitória de Hamilton, garantiria o título com a terceira colocação.

Mas o britânico adotou uma tática muito inteligente, aliás, sua única chance de anular a falta de combatividade de Nico, ao diminuir o ritmo da corrida para que a distância entre os pilotos fosse cada vez menor. Com o alemão fugindo da briga, ele passou a ser pressionado pelo prodígio Max Verstappen (RBR) e Sebastian Vettel (Ferrari). Só que Rosberg aguentou firme, inclusive na última volta, quando cruzou a linha de chegada com o holandês e o ferrarista no seu retrovisor, para a decepção de Hamilton, que esperava ganhar o tetra assim como na primeira vez, em 2008, quando tirou o título de Felipe Massa na última volta do GP do Brasil.

Na sequência, o que se viu foi muita comemoração nos boxes da Mercedes, e o alívio do novo campeão mundial de Fórmula 1. “Com o Max (Verstappen) no início e depois, no final, essas últimas voltas não foram agradáveis. Fico contente por estar terminado e estou extasiado. Quero também dar os parabéns ao Lewis, que fez uma grande temporada, incrivelmente rápido e sempre difícil de ser vencido", acrescentou o piloto germânico.

Mas sobre o resultado da prova de ontem (27), com a vitória de Lewis Hamilton, os investidores alcançaram a margem de resgate de R$ 3,90 sobre cada real.

DESPEDIDAS

Dois veteranos deram adeus à Fórmula 1 no circuito de Yas Marina. Campeão em 2009, Jenson Button, da McLaren, teve que abandonar a disputa na 13ª volta, depois de quebrar a roda dianteira direita. Já o brasileiro Felipe Massa (Williams) terminou a corrida em nono lugar e, assim, deixa a categoria que passou a fazer parte em 2002, e na qual teve seu melhor momento em 2008, quando foi vice-campeão pilotando pela Ferrari.

O QUE ESPERAR PARA O ANO QUE VEM?

E o mercado de apostas já está aberto para 2017. Sedento por uma revanche, Hamilton já é apontado como favorito ao título, com a cotação de R$ 2,62 por R$ 1. E o detalhe é que Rosberg não é o segundo melhor palpite, já que a dupla da RBR, com os ótimos Daniel Ricciardo e Verstappen, aparece empatada com R$ 4,00/R$ 1. Só então, com a cota de R$ 4,33/R$ 1, Nico surge como opção de investimento.

A Fórmula 1 no ano que vem terá o pontapé inicial com o GP da Austrália, no dia 20 de março.

 

Comments