Melhores Sites De Apostas
*Termos e condições se aplicam a todos os bônus oferecidos neste website. Visite a operadora para mais detalhes.

Deu a lógica: River Plate vence o Tucumán, conquista a Copa Argentina e proporciona lucro de 63%

Com o título, os Millonarios enfrentarão o Boca Juniors na Supercopa nacional, a partir de janeiro do ano que vem. (Foto: River Plate – Facebook Oficial)

Na noite do último sábado (09), o River Plate se consagrou bicampeão da Copa Argentina ao bater, em Mendoza, o Atlético Tucumán por 2 a 1 — os apostadores que investiram na vitória simples do time comandado por Marcelo Gallardo obtiveram o retorno de 63% nas aplicações, de acordo com o Bovada.

RIVER PLATE BICAMPEÃO DA COPA ARGENTINA

O final foi feliz, como em muitas outras noites. O último capítulo de 2017 no futebol argentino — as competições serão retomadas somente no ano que vem — terminou com o título do River. A imagem da conquista é a do grupo de jogadores cantando debaixo de uma chuva de papel picado prateado e erguendo o caneco em triunfo. E, embora não fosse o que mais queriam Ponzio, Enzo Perez e companhia, a Copa Argentina tornou-se uma obsessão. Porque, desde que Gallardo assumiu o cargo de treinador da equipe, em 2014, não houve um único ano em que os Millonarios não tenham dado uma volta olímpica.

O River Plate, que teve em Rodrigo Mora, uruguaio que não jogava desde o Superclásico, em 14 de maio do ano passado, seu personagem mais emblemático, ostentava o alívio de fechar a temporada sem a melancolia de fracassar em todas as frentes que disputou, principalmente em função do fato de ter negligenciado a Super Liga para priorizar a Copa Libertadores da América e consequentemente o Mundial de Clubes. E quando a equipe se viu longe dos Emirados Árabes e de uma tão sonhada final contra o Real Madrid, restou o prêmio de consolação em se contentar em encara o “poderoso” Tucumán. Isso é pouco, claro. No fim das contas, a vitória ajudou a curar a ferida, como Enzo Pérez, um profeta em sua terra natal, fez questão de frisar ao fim do duelo, em meio aos fogos de artificio no céu de Mendoza.

CONQUISTA COM LUTA E BRIO

E se há algo que não faltou ao River, nos noventa minutos, foi o espírito combativo, aquele que Javier Pinola e Jonatan Maidana haviam reivindicado durante a semana. A atitude e o compromisso eram a tônica do grupo. Mas, acima de tudo, houve momentos de bom futebol do meio para a frente. Dos pés de Pérez, a parte mais importante do circuito criativo, assim como o toque de classe de Nacho Fernandez, fundamental na conquista, até Ignacio Scocco, artilheiro e importante engrenagem na espinha dorsal do time. "Outra rodada, outro título", assim apareceu escrito nas camisas comemorativas, também decorada com um mapa da Argentina, com fundo preto, e 2017, em letras brancas.

O título da Copa Argentina dá direito à participação na Libertadores, mas como os Millonarios já haviam assegurado a vaga em função do vice-campeonato argentino, na temporada anterior, o Atlético Tucumán participará da competição continental pelo segundo ano seguido. O Decano, que amargou mais um vice-campeonato em seus 115 anos de história, entrará na fase de grupos.

O JOGO

A vitória começou a ser desenhada com o artilheiro Scocco, que, aos 10 minutos do primeiro tempo, aproveitou ótimo cruzamento para encobrir o goleiro Alejandro Sánchez. Mas o empate foi iminente. Um minuto depois, o veterano Luis Rodríguez tratou de deixar tudo igual. Mas o tento que valeu o bi do gigante de Buenos Aires saiu logo no início da etapa complementar, quando Nacho Fernández recebeu bom passe dentro da área e desferiu um chutaço, sem qualquer chance para o arqueiro adversário.

Até esta altura do ano, o River Plate era só preocupação, por causa das cinco derrotas nos últimos seis jogos. E não foi fácil bater o Tucumán. Se a campanha contou com obstáculos menos penosos, como o Defensa y Justicia, Atlas, Instituto, Atlanta e Morón, a noite de sábado estava cheia de desafios. O Decano foi o tempo todo um adversário difícil.

No entanto, o Atlético ficou sem combustível. Após o gol Fernández, o que se viu foi o domínio do campeão. Mesmo assim, os quinze mil fiéis dos azuis celestes e brancos reconheceram o esforço da briosa representação da província de Tucumán. Após a festa da conquista do bicampeonato da Copa Argentina, Marcelo Gallardo deixou de ser Napoleão por um tempo. Ele havia dito na conferência de imprensa, de sexta-feira (08), que queria ser santificado. A verdade é que ele deu outro presente para os torcedores, o sétimo título de sua gestão vencedora. Agora, o desafio será o arquirrival, Boca Juniors, adversário da próxima edição da Supercopa Argentina, em janeiro de 2018.

Final da Copa Argentina 2017

Odds segundo o Bovada

  • 09/12 – 20:15 - (R$ 1,63) River Plate 2 x 1 Atlético Tucumán (R$ 5,26); empate (R$ 3,72)

Comments