Favoritos da Copa América 2020: Argentina, Brasil, Colômbia e Uruguai

A Copa América 2020 tem tudo para se transformar no novo capítulo de uma rivalidade histórica. Brasil e Argentina são os cabeças-de-chave da competição e, caso avancem em primeiro lugar em seus grupos, vão medir forças só na finalíssima, marcada para o dia 12 de julho, em Barranquilla. Brasileiros e argentinos já despontam como favoritos ao título nos sites de apostas esportivas, como o Bodog, mas é bom não perder de vista as demais candidatas, com destaque para a Colômbia, que divide com a Argentina a missão de sediar o torneio, e o Uruguai, maior vencedor da história do certame.

Tanto o Brasil como a Argentina são boas pedidas para quem pretende apostar na Copa América 2020, mas por motivos bem diferentes. No caso da equipe de Tite, pesam o bom momento do craque Neymar, o entrosamento do plantel e o fato de a equipe entrar sem tanta pressão, já que foi a campeã em 2019. Nas últimas dez edições da Copa América, o Brasil chegou a seis finais e faturou nada menos de cinco títulos, perdendo apenas uma final (em 1995, para o Uruguai, nos pênaltis e na casa do adversário).

Já os argentinos chegam sob uma enorme cobrança do torcedor, que não festeja um título de sua seleção principal desde a Copa América de 1993. Messi e companhia deverão ser empurrados por essa fanática torcida na competição deste ano. Lembrando que nas duas últimas finais entre Brasil e Argentina (em 2004 e 2007), a seleção canarinho levou a melhor, mas os vizinhos ainda estão na frente em número de títulos sul-americanos (são catorze, contra nove dos brasileiros).

Nós não endossamos nem fornecemos opiniões sobre as casas de apostas esportivas da sua região.

Favoritos ao título da Copa América 2020

As cotações para os palpites de longo prazo (conhecidos como “outrights”) sobre quem será o ganhador da Copa América 2020 estão bem diferentes da edição de 2019, quando o Brasil estava disparado na frente. Desta vez, a relação dos favoritos para 2020 é liderada pela Argentina, seguida de perto pelo Brasil. Na verdade, a diferença entre as cotações dos rivais é tão pequena que nem dá para apontar um claro favoritismo argentino.

Outra novidade é a boa cotação da Colômbia, que terá a chance de decidir o título em casa (no calendário do torneio, a final está marcada para Barranquilla). Quem aparece em seguida, um pouco distante dos três primeiros colocados, é a equipe de maior sucesso em toda a história da competição: o Uruguai, com quinze títulos de Copa América. A seguir, vamos destacar os pontos fortes dos quatro grandes candidatos ao título, conforme as cotações sobre quem será campeão no Bodog.

Argentina: R$ 3,00 para 1

Pressão total. Não é exagero dizer que a Argentina de Messi vai para o tudo ou nada nesta Copa América, pois o jejum de títulos incomoda tanto que o craque já cogitou até deixar a seleção. São 27 anos sem faturar nenhuma taça. A última foi justamente a Copa América, no Equador, em 1993. Messi, aos 6 anos, ainda dava seus primeiros chutes em Rosário. Na última Copa América sediada na Argentina, em 2011, a seleção da casa foi um desastre, caindo logo nas quartas e somando só uma vitória em três jogos. Na edição deste ano, dá para esperar um Messi com fome de bola, um time aguerrido e renovado e muito barulho nas arquibancadas. Além de Messi, o técnico Lionel Scaloni deve confiar muito em Lautaro Martínez, da Inter de Milão, que vem crescendo a cada ano.

Brasil: R$ 3,25 para 1

A festa do título no Maracanã em 2019 ficou incompleta. A Copa América foi festejada por Tite e seus comandados, mas não dá para esconder que a ausência de Neymar, desfalque por lesão, e a decisão com o Peru, ao invés de um rival mais tradicional, deixou um gosto de quero mais na boca do torcedor. Com uma base bem estabelecida, uma comissão com total confiança do grupo e a provável volta de Neymar, que já avisou que não quer perder a chance de ser campeão, o Brasil pinta como favorito mesmo atuando em solo inimigo. A seleção canarinho é claramente a melhor do ponto de vista técnico, pois conta com vários jogadores de primeiríssimo nível (Alisson, Daniel Alves, Thiago Silva, Casemiro...). Falta ver se a motivação será a mesma que em 2019.

Colômbia: R$ 5,00 para 1

A seleção cafetera já faturou o título da Copa América em 2001, quando jogou em casa. O sonho do torcedor colombiano é repetir a dose neste ano, fazendo a festa na decisão em Barranquilla. O plantel é experiente e qualificado, com destaque para o goleiro e capitão Ospina, o zagueiro-artilheiro Mina, o polivalente Cuadrado, o habilidoso James Rodríguez e o velho matador Falcao García. Pode ser a última grande chance de título dessa geração, o que aumenta ainda mais a expectativa de uma grande campanha sob o comando do ótimo técnico português Carlos Queiroz.

Uruguai: R$ 10,00 para 1

Uma ótima pedida para quem procura um retorno ainda mais polpudo na hora de cravar o palpite no campeão. Afinal, o Uruguai não é só história: além do status de maior vencedor da história da Copa América, o time chegará com uma excelente mescla de experiência e juventude para o torneio. O veteraníssimo técnico Óscar Tabárez comanda um plantel de muita qualidade, e que não se limita à dupla de ataque formada por Cavani e Suárez. O melhor exemplo disso é Valverde, o jovem meia que se transformou em titular absoluto de Zidane no Real Madrid nesta temporada. Arrascaeta, do Flamengo, também deve fazer parte deste ótimo elenco, que tem tudo para encarar Argentina, Brasil e Colômbia de igual para igual.

As outras seleções da Copa América 2020

O Chile, com odds de R$ 13,00 para 1 no Bodog, é a equipe que corre por fora na briga pelo título, já que não conta com a mesma força do time bicampeão sul-americano em 2015 e 2016. Ainda assim, os chilenos são oponentes de respeito e podem atrapalhar os favoritos. Em seguida vem o Peru (R$ 26,00 para 1), que tem como principal trunfo o artilheiro Paolo Guerrero, goleador máximo da Copa América em três ocasiões. Paraguai e Venezuela têm a mesma cotação, R$ 34,00 para 1, e devem sonhar no máximo com uma semifinal. Com odds de R$ 51,00, o Equador já ficaria contente com uma ida às quartas-de-final, mesmo objetivo dos convidados Austrália e Catar (ambos cotados a R$ 81,00). A Bolívia é a maior zebra do torneio: o título da seleção andina paga incríveis R$ 151,00.

FAQ das apostas na Copa América

Quando as cotações das apostas futuras mudam?
Os odds dos candidatos ao título do torneio vão oscilar até a final, mas não dá para prever a frequência dessas mudanças. As casas de apostas ajustam as cotações de acordo com os últimos desdobramentos sobre cada seleção. Digamos que Lionel Messi sofra uma lesão grave e tenha sua participação no torneio continental colocada em dúvida. Aí os outrights da Argentina devem mudar logo em seguida, pois as chances do país ficam menores sem o craque. Também é bom ficar de olho nas primeiras partidas das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022, que acontecem alguns meses antes da Copa América e serão um bom termômetro para o torneio.

Por que o Brasil está sempre entre os favoritos?
O retrospecto recente da seleção brasileira na Copa América é muito bom: foram cinco títulos e um vice nas últimas dez edições. Isso se reflete nos outrights para uma possível conquista brasileira em 2020. Sem contar, é claro, a tradição da equipe e a força de seu elenco, qualquer que seja a lista de convocados do técnico Tite.

Qual é o melhor momento para fazer meu palpite?
Depende. Se você conseguir identificar uma tendência antes dos outros, pode lucrar ainda mais. Por exemplo: Neymar começou o ano de 2020 jogando demais pelo PSG e já avisou que pretende disputer a Copa América, compensando a ausência por contusão na edição passada. Isso é um sinal de que o Brasil pode brilhar na competição, enquanto uma outra favorita, a Colômbia, poderá sofrer com a falta de ritmo de jogo do astro James Rodríguez, na reserva do Real Madrid. A casa de apostas poderá alterar as cotações mais para frente, refletindo essas informações – mas se você teve essa percepção com antecêdencia, pode se beneficiar com um retorno maior.