Melhores Sites De Apostas

*Termos e condições se aplicam a todos os bônus oferecidos neste website. Visite a operadora para mais detalhes.

Depois de 20 anos, apostas olímpicas voltam a Las Vegas e geram novo marco no segmento

A sempre famosa Las Vegas anunciou uma atração a mais para esta edição dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Quem estiver na capital mundial das apostas durante esta edição poderá jogar em qualquer modalidade pela primeira vez desde 1998, quando foi disputada a Olimpíada de Inverno em Nagano, no Japão.

Ou seja: a última Olimpíada de verão que teve tal serviço em Las Vegas foi a de 1996, em Atlanta, no próprio país, exatos 20 anos atrás.

Muito comemorada, a autorização chega aos míticos cassinos, hotéis e resorts depois de um hiato de quatro edições dos Jogos (2000, 2004, 2008 e 2012) sem apostas esportivas.

Foi justamente a procura dos turistas pelo serviço que fez a Comissão de Apostas de Nevada (estado americano onde fica a cidade de Las Vegas) autorizar a atração no fim do ano passado. A insistência veio dos donos dos cassinos. Todos relataram que a Olimpíada de Londres de 2012 e a de Sochi (nos Jogos de Inverno, em 2014) falharam ao não integrar o programa de suas casas, o que foi acatado pela Comissão. Ela enxergou como argumento inequívoco a adesão da maioria da Europa nas apostas olímpicas nas mais diversas modalidades, como costuma informar o site de estatísticas e probabilidades esportivas Oddsshark.com/br.

Atração (ainda mais) mundial

Las Vegas considera que agosto tem muito a crescer em fluxo de visitantes, e a crescente popularidade dos esportes olímpicos fará com que tal situação se aqueça especialmente entre os turistas estrangeiros.

Houve acréscimo e especialização do estafe de bookmakers, como são chamados os profissionais que aplicam as apostas, que agora oferecem todas as modalidades e as devidas informações.

Os Estados Unidos são reconhecidos pela sua força olímpica em competições globais como atletismo e natação, mas em Las Vegas agora é possível apostar - e com ricos programas informando todas as movimentações e os favoritos - em modalidades como o tênis de mesa tão ao gosto dos chineses.

Levantou-se a informação de que em agosto Las Vegas recebe uma enxurrada de asiáticos que tirariam proveito das informações disponibilizadas por lá - algo parecido com o que faz o Oddsshark.com/br aqui, que é direcionar a infinidade de combinações para as apostas que são realmente promissoras.

Um antes e um depois

A autorização e as livres apostas esportivas em Las Vegas vão contribuir em muito para a evolução do segmento no mundo todo.

Isso tudo porque Las Vegas abriga imensa quantidade de empresas de tecnologia que exploram apostas e telecomunicações. A cidade hospeda anualmente as feiras mais concorridas do mundo no setor.

Muitos indicam que esta chegada da Olimpíada a Las Vegas vai marcar um “antes e depois” das apostas esportivas no mundo justamente por esta influência dos arredores.

Segundo o “USA Today”, um dos maiores jornais americanos e que ofereceu amplo material para a abertura olímpica em Las Vegas, os esportes que geram maior volume de apostas nos Estados Unidos são o beisebol (de longe o preferido, mas que será integrado ao programa olímpico só em Tóquio 2020), o basquete e o futebol (não o “soccer”, e sim o americano).

Muito por conta desses dois que vêm a seguir, os luxuosos espaços para jogos de Las Vegas, entre eles o famoso Wynn, eleito o hotel cinco estrelas mais luxuoso do mundo, já oferece as apostas citadas.

O que não vai favorecer muito os americanos dispostos a investir dinheiro na Olimpíada em Las Vegas será a cotação encontrada nos astros mais populares no país. Todos são favoritíssimos e pagam pouco em caso de vitória.

Isso ocorre, por exemplo, com o nadador Michael Phelps, de 31 anos e de 23 medalhas no total, sendo 19 de ouro. É tão favorito que apenas repõe o valor apostado.

Outro astro muito popular nos Estados Unidos, embora nascido em outro país, a Jamaica, o velocista Usain Bolt só gera lucro de 100 dólares em caso de apostas de 1.000 dólares em seu triunfo. O americano Justin Gatlin aparece em seu encalço.

Os apostadores, porém, vão centrar suas atenções mesmo nas fases mais avançadas do time masculino de basquete, a modalidade olímpica mais acompanhada nos Estados Unidos.

Contando com uma delegação de 556 atletas, os Estados Unidos são também favoritos disparados para terminar o quadro de medalhas na liderança, seguido de China, Reino Unido e Rússia, com cotações quase fictícias.

A única influência brasileira nesta lista vem do futebol feminino. Aparece como terceira favorita ao ouro, com um retorno de R$ 5 para cada R$ 1 apostado, atrás dos EUA (R$ 2,20) e Alemanha (R$ 4,50), como levantado pelo Oddsshark.com/br.

Comments