Melhores Sites De Apostas

*Termos e condições se aplicam a todos os bônus oferecidos neste website. Visite a operadora para mais detalhes.

Sem rivais à altura, americanos seguem dando show de basquete no Rio de Janeiro

Os jogos desta segunda-feira (8) do basquete feminino e masculino vieram para sacramentar aquilo que todos já estão mais do que carecas de saber: será praticamente impossível tirar a medalha de ouro do pescoço dos norte-americanos nesta modalidade. Tanto as mulheres quanto os homens da terra do Tio Sam mais uma vez não tomaram conhecimento de seus oponentes e passaram por cima de Senegal e Venezuela, respectivamente.

As equipes norte-americanas entraram nestes jogos novamente como amplas favoritas a levarem o título tanto no feminino quanto no masculino. De acordo com as estatísticas do ‘OddsShark.com/br’, o triunfo do ‘Dream Team’ masculino é tão esperado que, se realmente for confirmado, o apostador levará apenas seis centavos de lucro por real apostado. Ou seja, uma margem baixíssima de retorno. Já entre as mulheres, essa margem é levemente maior e seu lucro pode aumentar em dois centavos, chegando a oito por real apostado.

Para quem quiser se arriscar um pouco mais é possível também investir no vencedor de cada grupo antes da fase final. O Grupo B masculino de basquete, por exemplo, tem a Espanha como principal favorita, mas ainda assim paga R$ 1,74 a cada real apostado. Já o Brasil, dono da casa e que estreou com derrota para Lituânia, tem margem de R$ 5,25.

Desde que os astros da NBA foram incorporados ao basquete olímpico, em Barcelona, em 1992, os americanos só não venceram na edição de 2004, em Atenas, quando a geração dourada da Argentina assombrou o mundo ao conquistar o ouro. No feminino o domínio é maior ainda. Desde 1984, em Los Angeles (EUA), as norte-americanas só não conquistaram o primeiro lugar em Barcelona, quando a Seleção Unificada (composta por estados independentes que pertenciam à União Soviética) levou a melhor.

Austrália segue invicta no Grupo A

Comandada pelos ótimos armadores da NBA Matthew Dellavedova (Cleveland Cavaliers) e Patrick Mills (San Antonio Spurs), os australianos chegaram ao confronto contra a equipe da Sérvia como favoritos após atropelarem os franceses. E não deu outra. Apesar de terminar o primeiro tempo atrás por uma diferença de três pontos, no fim da partida a Austrália conquistou seu segundo triunfo por tranquilos 95 a 80.

O início do jogo foi de bastante equilíbrio, mas com os australianos liderando grande parte do tempo. O primeiro quarto chegou ao fim com 26 a 23 para a Austrália. Na parcial seguinte, no entanto, a dupla Milos Teodosic e Miroslav Raduljica voltou inspirada e o pivô vinha levando a melhor na maioria dos duelos que travava com os grandalhões australianos Aron Baynes e Andrew Bogut. Resultado, virada para a equipe da Europa, que foi para o intervalo com 43 a 40.

O equilíbrio se manteve no retorno para a segunda parte da partida, mas o último período foi absolutamente determinante para o triunfo da Austrália. Com um quarto perfeito, os australianos fizeram incríveis 33 a 17 em dez minutos e fecharam a partida em 95 a 80. Importantíssimo triunfo da equipe liderada por Dellavedova, que agora já passou por dois dos adversários diretos em sua chave. Aliás, segundo o site ‘OddsShark.com/br’, a Austrália (R$ 51) seria até menos favorita do que Sérvia (R$ 14) e França (R$ 11) para ficar à frente no Grupo A.

Meninas do Brasil decepcionam novamente

A seleção atual parece realmente não estar à altura do passado de glórias do basquete feminino do Brasil. Depois da derrota na estreia para a Austrália por 18 pontos, nesta segunda a equipe comandada por Antônio Carlos Barbosa, ou simplesmente Barbosa, foi derrotada pelo Japão e começa a ver até mesmo a classificação para a fase seguinte se complicar.

Depois de um primeiro quarto equilibrado onde o Brasil acabou na frente por um ponto de diferença (20 a 17), o segundo período já foi bem mais complicado e as japonesas abriram 14 pontos antes do intervalo. Bastante desorganizadas e forçando arremessos, as brasileiras voltaram sem conseguir boas jogadas ofensivas, mas o problema maior estava na defesa. O Japão sempre tinha alguma jogadora livre e, para piorar, quando começaram a errar chutes, deram um show de rebotes ofensivos.

Mesmo sendo, em teoria, bem mais favorita a conquistar a briga pela liderança do grupo, o Brasil (R$ 8,50) saiu da Arena Carioca 1 facilmente derrotado pelo Japão (R$ 301) por 82 a 66. Foi a primeira vez que a seleção feminina de basquete brasileira perdeu para a japonesa. A seleção de Barbosa volta à quadra nesta terça, diante da Bielorrússia, que também vem de duas derrotas.

Nesta terça quem entra em quadra é a seleção masculina. Leandrinho, Raulzinho, Nené e cia terão pela frente a dificílima equipe da Espanha (R$ 1,28 / 1). A vitória do Brasil (R$ 2,25 / 1) é importantíssima para manter vivas as chances de classificação.

Comments