Melhores Sites De Apostas
*Termos e condições se aplicam a todos os bônus oferecidos neste website. Visite a operadora para mais detalhes.

Prognósticos das semifinais do Mundial Feminino de Handebol

Competição está sendo disputada na Alemanha e termina domingo

França, Holanda, Noruega e Suécia alcançaram as semifinais do Mundial Feminino. As suecas encaram as francesas, enquanto norueguesas e holandesas decidem a outra vaga na final. Confira abaixo as últimas notícias, os prêmios pagos e os prognósticos, segundo o betsson.

História

O Mundial Feminino de Handebol colocou frente à frente as principais potências planetárias pela primeira vez em 1957, na Iugoslávia. Na ocasião, a Tchecoslováquia ficou com a taça.

A contenda cresceu de tamanho e de importância e mudou sua fórmula de disputa. Agora, ele acontece a cada dois anos e a fase final conta com 24 países.

A maior campeã de todos os tempos é a Rússia, com quatro medalhas de ouro. Não estão computados os três primeiros lugares da extinta União Soviética.

O Brasil só tem uma medalha. Surpreendemos a todos quando as brasileiras derrotaram a Sérvia por 22 a 20, na final de Belgrado, em 2013.

Suécia x França

A Suécia, que não tem ainda um título importante da categoria adulta, chega pela primeira à uma semifinal de Mundial. As escandinavas terão a tradicional França pelo caminho.

Contra a Dinamarca, a peleja começou em ritmo lento. As vikings levaram sonolentos cinco minutos para marcar o primeiro gol. Sorte delas que a arqueira dinamarquesa Sandra Toft não estava tão inspirada quanto no êxito sobre a Alemanha, onde ela defendeu 57% das bolas. As de azul e amarelo também substituíram a camisa um Johanna Bundsen por Filippa Idehn. Melhor lá trás, a Suécia fechou o primeiro tempo com dois gols de vantagem.

No segundo, as de Estocolmo abriram 22 a 15 no marcador, obrigando o técnico alvirrubro Klavs Jorgensen a utilizar a tática “sete contra seis”. As de Copenhague bem que encostaram, mas a Suécia definiu a partida nos contra-ataques. O resultado de 26 a 23 garantiu 70% de lucro aos apostadores.

As francesas ganharam pelo mesmo saldo de gols: 25 a 22 sobre Montenegro (R$ 1,38 / um). A campeã de 2003 começou desconcentrada e viu as da ex-Iugoslávia abrirem três tentos. Foram precisos onze minutos para as de Paris alcançarem a igualdade. A partir daí as de azul, branco e vermelho assumiram as rédeas do encontro.

Apesar de administrar a diferença, as balcânicas não deixaram as francesas dispararem. Katarina Bulatovic, Milena Raicevic e Jovanka Radicevic deram trabalho.

A Tricolor é favorita para chegar à final: R$ 1,75 / um, contra R$ 2,62 / um das do norte. Caso tenhamos prorrogação, a recompensa será de R$ 7,96 / um.

Holanda x Noruega

Considerados por muitos “a final antecipada”, a Noruega trucidou a Rússia por 34 a 17 (R$ 1,44 / um) e carimbou seu passaporte. As norueguesas fizeram a melhor atuação do certame, satisfazendo o professor Thorir Hergeirsson, que disse: "Fantástico! Talvez seja a melhor atuação de uma equipe de handebol que tenha visto desde que trabalho com o esporte". Individualmente, a goleira Kari Grimsbo se destacou. Já o treinador russo Evegeny Trefilov saiu de quadra resmungando, sem poupar críticas às suas atletas.

Pela primeira vez na história, a República Checa não termina entre as quatro primeiras colocadas. O "fim do conto de fadas", como adjetivou a federação checa, veio com o revés de 30 a 26 contra a Holanda (R$ 1,26 / um). As de laranja foram muito bem no primeiro tempo, quando neutralizaram as ações ofensivas das adversárias.

Se as da Terra dos Fiordes repetirem o desempenho de ontem, as holandesas não terão nenhuma chance. Paga-se R$ 6,13 / um pela comemoração em Amsterdã, contra R$ 1,21 / um pela festa em Oslo e R$ 13,16 / um se formos para o tempo extra.

A participação brasileira

O Brasil se classificou para o Mundial através do Campeonato Pan-americano deste ano, que foi realizado em Villa Ballester, na Província de Buenos Aires. A seleção Canarinho ganhou as quatro pelejas da primeira fase contra Estados Unidos (42 a 10), Colômbia (46 a 12), Paraguai (29 a 15) e Porto Rico (40 a 15). Na semifinal, derrotou o Uruguai por 42 a 23 e, na final, bateu a Argentina por 38 a 20.

Em solo alemão, a Verde e Amarelo caiu no grupo C. O time empatou com o Japão em 28 gols (R$ 15,88 / um), ganhou da Tunísia por 23 a 22 (R$ 1,01 / um), sofreu diante da Rússia por 24 a 16 (R$ 1,15 / um), quase surpreendeu a Dinamarca, mas tomou de 22 a 20 (R$ 1,23 / um) e ficou no 23 a 23 com as montenegrinas (R$ 8,53 / um).

No torneio de consolação, as tupiniquins superaram Camarões por 28 a 26 (R$ 1,03 / um) e foram para casa de cabeça baixa com o revés de 29 a 27 diante da Polônia (R$ 1,98 / um). As da nação de Tim Maia, Gilberto Gil e Maria Bethânia terminaram na décima oitava posição.

Edições futuras

Realizado de dois em dois anos, os próximos mundiais serão no Japão (em 2019), na Espanha (em 2021) e no trio Dinamarca, Noruega e Suécia (em 2023).

Quartas de Final do Campeonato Mundial Feminino de 2017

Terça-feira, 12 de dezembro:
  • 14h30: Suécia 26x23 Dinamarca (R$ 1,70)
  • 17h45: França 25x22 Montenegro (R$ 1,38)
Quarta-feira, 13 de dezembro:
  • 14h30: Holanda 30x26 República Checa (R$ 1,26)
  • 17h30: Noruega 34x17 Rússia (R$ 1,44)

Semifinais do Campeonato Mundial Feminino de 2017

Sexta-feira, 15 de dezembro:
  • 14h30: (R$ 2,62) Suécia x França (R$ 1,75) (Empate R$ 7,96) – palpite: França.
  • 17h30: (R$ 6,13) Holanda x Noruega (R$ 1,21) (Empate R$ 13,16) – palpite: Noruega.

Outrights pelo título:

  • 1. Noruega, R$ 2,08
  • 2. França, R$ 5,58
  • 3. Holanda, R$ 9,00
  • 4. Suécia, R$ 10,17

Comments