Melhores Sites De Apostas

Trapaça no Cassino

As trapaças nos cassinos começaram desde a abertura do primeiro estabelecimento de jogos. Diga um jogo de cassino e alguma pessoa habilidosa já achou um meio de trapaceá-lo. Para isso, recorrem ao conhecimento interno, know-how do mecanismo, truques e cúmplices para ganhar uma vantagem. Algumas trapaças nos cassinos foram pegas imediatamente, enquanto outras desfrutaram do esquema por 20 anos antes de serem pegos. Sem sombra de dúvida, alguns devem ter saído impunes. Afinal, diz-se que os melhores trapaceadores são aqueles que nunca são pegos.

Neste guia apresentamos uma visão geral da trapaça nos cassinos, os métodos mais comuns de fraude na história das apostas dos cassinos, junto com uma lista breve dos mais famosos golpistas nas últimas décadas. Cada jogo tem os seus próprios métodos, então esteja pronto para conhecer uma antologia da trapaça. Note que a maioria destes truques são ilegais e não aconselhamos o uso destas táticas.

Trapaça Na Roleta

Os golpistas da roleta usaram várias táticas diferentes: vacilo da roleta, inclinação da roleta ("wheel dipping"), top-hatting e esferas magnéticas. O vacilo da roleta acontece que alguém afrouxa uma casa numerada ou passa spray adesivo nela para que atrair a bola da roleta com mais frequência.

A wheel dipping (inclinação da roleta) acontece quando alguém se inclina na roleta ou na mesa onde ela está, fazendo com que a roleta se incline para um lado. Top-hatting envolve um jogador distraindo o croupier, enquanto o outro jogador coloca a bola em uma casa numérica diferente. Ainda que soe como um esquema bizarro, o golpista italiano da roleta Francis Farrugia aplicou o top-hatting por 20 anos, antes de ser pego em 2012.

Deve-se notar que, na maioria dos esquemas de roleta mais conhecidos ao longo dos anos, parece haver um envolvimento do croupier em uma trama. Isso é comum na maioria dos jogos de mesa, por que o croupier é o encarregado do cassino com o dever principal de supervisão.

O gerente e a equipe de segurança focam os jogadores suspeitos também observando por câmeras suspensas, por isso os croupiers e os trapaceiros sempre são pegos. A história a seguir é um perfeito exemplo de um trabalho interno, e porque ninguém foi responsabilizado por isso.

Monique Laurent

Em 1973, Monique Laurent, seu cunhado e um terceiro cúmplice montaram uma bola de roleta acionada por controle remoto com seu transmissor armazenado em um pacote de cigarros para mudar o percurso da bola. O cúmplice foi um croupier, e com isso, conseguiram usar a bola elaborada no jogo. Esses vigaristas conseguiram safar-se com seu esquema até que um funcionário da equipe de segurança levemente obcecado notou uma mulher atraente sentada perto toda vez que um jogador tirava a sorte grande na roleta.

Joseph Jagger

No século XIX , um americano ganhou 450.000 dólares trapaceando na roleta do Beaux-Arts Casino, em Monte Carlo, antes dos gerentes perceberem o que ele estava fazendo. Jagger contratou seis encarregados de registrar os resultados nos jogos de roleta do cassino. Ele estudou os números e descobriu que um número aparecia com mais frequência, claro que devido a alguma inclinação da roleta. Esses esquemas são a razão dos cassinos checarem suas máquinas com mais frequência.

Charles Wells and Charles Coburn

Charles Wells uma vez ganhou 23 dos 30 giros de uma roleta em Monte Carlo. Durante sua sessão da vitória, ele ganhou mais de 2.000.000 de dólares. Esse feito ficou tão conhecido que o compositor Fred Gilbert escreveu uma música a respeito do incidente em 1892. Aquela canção, "O homem que quebrou a banca em Monte Carlo", tornou-se parte essencial do repertório do cantor inglês de music hall, Charles Coburn. Sabe-se que o Sr. Coburn cantou a música mais de 250.000 vezes em sua vida de cantor.

Os Eudaimonistas

Um grupo de pós-graduandos criativos da Universidade de Califórnia em Santa Cruz construiu um computador portátil para ajudá-los a vencer a roleta. Este grupo, que se autodenominava "os eudaimonistas", conseguiram 144% de retorno esperado de suas apostas na roleta. Isso continuou até que a máquina superaqueceu e começou a sair fumaça do chão do cassino, mas, antes disso, os eudaimonistas conseguiram ganhar 10.000 dólares

Trapaças Nos Caça-Níqueis

O modo mais comum de vencer o cassino é trapaceando nos caça-níqueis. A falta de supervisão faz dos caça-níqueis o alvo ideal. Os caça-níqueis (nos tempos antigos) continham muito dinheiro. Além disso, sendo responsável por 70% das receitas de um cassino, era mais provável que os jogadores ficassem angustiados com o tempo de espera na fila dos caça-níqueis. A seguir algumas trapaças dos caça-níqueis em destaque ao longo dos anos.

Tommy Glenn Carmichael

Tommy Glenn Carmichael era um golpista de caça-níqueis nos anos 90. O Sr. Carmichael é considerado por muitos como o melhor trapaceiro de caça-níqueis de todos os tempos. Certamente ele foi o mais prolífico inventor de dispositivos mecânicos de trapaça. Construiu dispositivos com nomes geniais como "varinha iluminada", "pata de macaco", "pé de apoio" e o "gancho".

Essas ferramentas e engenhocas foram usadas para vencer caça-níqueis cada vez mais sofisticados. Uma vez, Tommy Glenn Carmichael inventou um dispositivo para vencer a segurança interna dos caça-níqueis que funcionou por 6 meses, até que os projetistas de jogos na IGT criaram o seu próprio dispositivo à prova de falhas para proteger a máquina do jogo (como um "braço atuador"). Por fim, Tommy Glenn Carmichael foi pego e mandado para a prisão, mas ainda assim é uma lenda no ramo.

Pata De Macaco

São cabos chamados 'monkey wires' inseridos em uma máquina de jogos eletrônicos para confundir o sensor a laser sobre o quanto o dispositivo deve pagar. Ficaram obsoletos quando os projetistas de jogos criaram o braço atuador.

Varinha Iluminada

As varinhas iluminadas foram os primeiros ponteiros laser em um longo braço. Eram colocadas na máquina para acionar o sensor elétrico da máquina. Mais uma vez, dispositivos como o braço atuador serviram para bloquear a luz na direção iluminada pela varinha

Roubo Do Cashbox Por Funis De Moedas

As trapaças mecânicas ainda são usadas, ainda que atualmente precisem ser associadas ao fator eletrônico. Algumas pessoas abriram um cadeado tubular dos caça-níqueis usando um decodificador de cadeado. Pulsos eletromagnéticos (PEMs) foram usados nos dispositivos eletrônicos também. Os PEMs eram usados para desligar os dispositivos eletrônicos, portanto acabando com suas defesas.

Dinheiro Falsificado - Moedas Falsificadas

Entre os métodos mais cruéis de trapaça de caça-níqueis foi o uso de dinheiro falsificado ou moedas falsas ("caracóis") para enganar o sensor de moedas. Antigamente, as pessoas amarravam uma moeda ao seu dedo acionando o sensor e então retiravam a moeda do dispositivo.

Trapaças Mais Famosas No Cassino

Segue abaixo uma série de trapaças que tiraram muito dinheiro dos cassinos. Em alguns casos, ficaram famosas. Em outros casos, apenas acabaram na cadeia. Todos conseguiram um lugar no história do jogo de apostas.

Dennis Nikrasch

Angariou 6 milhões de dólares dos caça-níqueis eletrônicos com suas habilidades de hackear um computador. Nikrasch abriu um caça-níqueis, colocou um chip de computador que ajudaria o jogador a vencer e fechou (em menos de um minuto). Um cúmplice jogaria nesse caça-níquel. Esse cúmplice por fim armou para Nikrasch ser pego.

Richard Marcus

Costumava usar o truque de habilidades manuais com uma ficha de $5 na mesa de roleta. Se ele perdesse, ele pegaria a sua ficha de $5. A ficha repousava sobre uma ficha muito maior, que ele tiraria da mesa se perdesse a aposta.

Equipe De Blackjack Do Mit

Existe muita polêmica a respeito da contagem de cartas. Os cassinos consideram como trapaça, enquanto na perspectiva dos contadores de carta é apenas uma coleta de informações. De qualquer forma, a contagem de cartas é legal.

A Gangue dos Cutters

Essa gangue usava uma pequena câmera escondida na sua abotoadura da jaqueta para registrar a ordem das cartas em uma embaralhada do baccarat. Usando esta informação, cortariam o baralho para dar a vantagem ao jogador. The Cutter Gang (de "corte das cartas") angariou 1 milhão de dólares do Cosmopolitan Casino em Las Vegas Strip, mas foi pega em um cassino nas Filipinas (e escapou).

Keith Taft

Em 1972, Keith Taft projetou um computador pessoal de 6,8 kg que ele levava para os cassinos do Reno, ainda que ele disfarçasse o computador para parecer como sua barriga, o cinto para segurar o aparelho parecia o cinto de utilidades do Batman. Ele também tinha componentes eletrônicos no seu calçado, que lhe ajudava a fazer cálculos batendo os pés para transmitir códigos.

Ronald Harris

Ronald Harris era um inspetor do Painel de Controle de Jogos de Nevada. Ele instalou uma programação nas máquinas que inspecionava. Quando a alavanca da máquina era puxada na sequência certa, o pagamento máximo devia ser pago. Seu cúmplice, Reid Errol McNeal, agiu de modo suspeito quando ganhou um jackpot de 100.000 dólares, e com isso os dois acabaram sendo pegos.

Esse é um resumo de algumas trapaças nos cassinos ao longo dos anos. Muitos tentaram e foram pegos. Sem dúvida, alguns poucos nunca foram descobertos. Qualquer que seja o caso, oferecemos essas informações apenas com o intuito de entretenimento. Jogue pensando em entreter-se – não para lucrar. E independente do que fizer, não trapaceie no cassino. Provavelmente, pagará um alto preço por violar a lei.

Comments