Melhores Sites De Apostas

Eleições presidenciais da França: quem são os candidatos favoritos

Foto: AP Photo/Michel Euler

Os principais partidos políticos da França já anunciaram seus candidatos e as eleições presidenciais de 2017 estão esquentando! Faltam apenas quatro meses. Você talvez não possa votar na França, mas é claro que pode escolher seu favorito! As apostas futuras estão abertas até dia 31 de dezembro.

Como são as eleições na França

A França tem um sistema eleitoral parecido com o brasileiro (na verdade, nós é que nos inspiramos neles): cada partido ou coligação lança a candidatura de um representante e os cidadãos votam no próximo presidente em eleições diretas. Caso nenhum candidato alcançe a maioria absoluta dos votos — ou seja, 50% mais 1 — os dois melhor votados vão para o segundo turno.

Mas há uma diferença muito importante: o voto não é obrigatório. Por isso, tenha sempre em mente: além de ir bem nas pesquisas de intenção de voto, o candidato ideal também precisa ter carisma e liderança suficiente para fazer com que os eleitores saiam de suas casas em pleno domingo para votar.

Candidatos à presidência na França

Em dezembro, a Ipsos realizou uma pesquisa com 18.013 eleitores, que revelou o favoritismo de François Fillon, com 26% das intenções de voto. Fillon é membro do partido de centro-direita Les Républicains (Os Republicanos), o mesmo do ex-presidente Nicolas Sarkozy, que falhou em se reeleger em 2012, em meio à crise econômica. Quem entrou em seu lugar foi o socialista François Hollande. Com o governo de esquerda, a situação francesa não melhorou muito, o que explica a preferência pelo republicano este ano. A vitória de Fillon no segundo turno é tida como muito provável e paga R$ 1,70 para cada R$ 1 apostado no Betsson.

Com 24% das intenções de voto, a segunda favorita é Marine Le Pen, do partido de extrema-direita Front National (Frente Nacional). A ultradireitista quer acabar com a imigração, abandonar o euro, trazendo de volta o franco como moeda corrente, e restaurar a independência diplomática e militar da França. Sua visão nacionalista vem ganhando adeptos, devido aos altos níves de desemprego no país e ao medo da ameaça terrorista. Em algumas pesquisas, Le Pen chega a superar Fillon. Se as eleições fossem hoje, os dois iriam juntos para o segundo turno. A vitória de Le Pen paga R$ 3,50 para cada R$ 1 investido.

Em terceiro nas intenções de voto, temos Emmanuel Macron, líder do recém-formado movimento En Marche! (Em Marcha!). Apesar de vir do Partido Socialista, Macron traz uma proposta que, segundo ele, “não é nem de esquerda, nem de direita”. É antigo Ministro da Economia do governo de François Hollande e suas principais propostas estão atreladas à legislação trabalhista. Ele defende que a carga horária semanal deve variar de acordo com a idade do trabalhador, grosso modo: 39 horas para jovens e 30 horas para os mais velhos. Também propõe diferentes opções na idade de quem se aposenta, variando de 60 a 67 anos. Macron tem 13% das intenções de voto. Sua vitória não é muito esperada e paga R$ 7 para cada R$ 1 apostado.

O Parti Socialiste (Partido Socialista), ao qual pertence o atual presidente da república François Hollande, ainda não lançou seu candidato. A coligação Belle Alliance Populaire (Bela Aliança Popular) se reunirá no dia 22 de janeiro para eleger seu representante, e os favoritos são: o ex-Primeiro Ministro Manuel Valls, que tem 11% das intenções e paga R$ 13/R$ 1 caso alcance o posto de presidente da França, e o ex-Ministro da Economia Arnaud Montebourg, que tem 6% e paga R$ 40/R$ 1.

Temos ainda o comunista Jean-Luc Mélenchon, membro do partido Front de Gauche (Frente de Esquerda) e fundador do movimento La France Insoumise (França Insubmissa), que promete formar uma nova assembleia constituinte e inaugurar a 6º República Francesa. A vitória de Mélechon vale R$ 50 para cada R$ 1 apostado, e ele tem 13% das intenções. Por último, François Bayrou, do Mouvement Démocrate (Movimento Democrata), ainda não anunciou sua candidatura, mas já conta com 6% das intenções. Caso ele anuncie, concorra e ganhe — uma possibilidade muito pequena — os apostadores levam incríveis R$ 125 para cada R$ 1 investido.

A lista de possíveis apostas contempla apenas os candidatos que possuem mais de 3% das intenções de voto. Confira todos os odds:

Presidente da França a ser eleito em 2017:

Odds em 21 de dezembro, de acordo com o Betsson

CandidatoPartidoOdds*
François FillonLes RépublicainsR$ 1,70
Marine Le PenFront NationalR$ 3,50
Emmanuel MacronEn Marche!R$ 7,00
Manuel VallsBelle Alliance PopulaireR$ 13,00
Arnaud MontebourgBelle Alliance PopulaireR$ 40,00
Jean-Luc MélechonFront de GaucheR$ 50,00
François BayrouMouvement DémocrateR$ 125,00

*Valor pago para cada R$ 1 apostado no vencedor.

Intenções de voto no 2º turno

A pesquisa mais recente que temos para intenções de voto no segundo turno foi realizada pela Ifop, com 1.401 eleitores, e revela a vitória de François Fillon sobre Marine Le Pen por esmagadores 65%. No entanto, existem fatores importantes que você deve considerar antes de apostar em quem parece ter a vitória certa.

Em primeiro lugar, a atual pesquisa do segundo turno foi feita com uma amostra pequena para o universo de mais de 44 milhões de eleitores franceses, o que eleva a margem de erro. Além disso, apesar dos odds atuais valerem para apostas até o dia 31 de dezembro, as eleições acontecem apenas em abril de 2017. Até lá, vão ocorrer muitos discursos, debates e — por que não? — acusações. As intenções de voto certamente vão flutuar.

Também é importante lembrar que, em países onde o voto não é obrigatório, os eleitores que torcem pela vitória do candidato favorito muitas vezes não saem de casa para votar, pois pensam que "já está ganho”. Isso gera resultados inesperados, como a saída do Reino Unido da União Europeia e a eleição de Donald Trump como presidente dos EUA.

Por falar em Trump, a nacionalista Marine Le Pen — atualmente em segundo lugar nas intenções de voto — partilha de muitas das opiniões do republicano. Levando em conta as atuais tendências mundiais, eu não me surpreenderia se ela subisse nas pesquisas nos próximos meses. Aliás, é importante ter em mente o que os eleitores buscam. De acordo com pesquisa realizada pelo BVA, os principais fatores que levaram à escolha de um ou outro candidato foram:

preocupações que mais impactam nas intenções de voto dos franceses:
  • 1) Desemprego – 87%
  • 2) Segurança – 80%
  • 3) Ameaça terrorista – 76%
  • 4) Crise dos imigrantes – 72%
  • 5) Legislação trabalhista – 72%

Se pensarmos bem, todos estes fatores estão conectados. A França ainda sofre com os desdobramentos da Crise Econômica Mundial e da Crise do Euro. Está com a taxa de desemprego nas alturas — na margem dos 10,5%, chegando a 24% entre a população jovem —, não sabe o que fazer com a onda de refugiados vindos dos países assolados pela guerra, e muito menos com os terroristas que chegam infiltrados. A difícil situação impulsiona opiniões extremistas e pode contribuir para a campanha de Marine Le Pen. Por isso, pense bem antes de fazer a sua aposta.

O primeiro turno das eleições acontece em 23 de abril de 2017. Caso haja necessidade de segundo turno, este se dará duas semanas depois, no dia 7 de maio.

 

Comments